Terça-feira, 23 de Março de 2010

Diário de Rita... ontem passaste por mim e fingiste não me veres...

...

Ontem passaste por mim! Eram três horas da tarde e fazia sol!

Ao dares de frente, com os teus olhos nos meus olhos, como é próprio de ti, fingiste não me veres.

Eu, surpresa e até meio acabrunhada, fingi, como tu fingiste, que te não vi, também. No entanto eu sei, porque sei, que tu me viste e que sabes que eu te vi, a ti, ontem, quando passaste por mim e eu estava, ainda, feliz! Depois fiquei com os olhos rasos de água e fiquei muito angustiada. Pelo resto de todo o meu dia!

E agora responde-me ao seguinte.

 - Porque me fazes, sempre, esta mesma fita? Vens caminhar os meus caminhos e passas, por mim, fingindo não me veres?...

Sabes? Eu finjo, também,  que te não vejo, porque, realmente, te não quero, não queria e não quererei ver.

- Por mim, jamais voltaremos a conversar, a deitar-nos na mesma cama, a bebermos uma garrafa de vinho a meias, a fazermos sexo, a fazermos amor, a "pintarmos a manta,"juntos...

Por mim, não há “remakes”...

- Não há mais nenhum “dejá vue” que me faça voltar, de novo, para ti.

Curei-me. Tu és uma “doença” de que já não sofro.

 

Ps: Rita foi sincera! Desta «doença» já não padece...mas quando as coisas são muito próximas, muito reais e visíveis, ainda dão para agredir-lhe e transtornar-lhe os dias, felizes, que agora vive em paz, mais que doce.

...

sinto-me: aparvalhada com isto tudo...
publicado por mcm às 11:12
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Março de 2010

Diário de Rita... Azar o teu. Não dá!

 ...

- E depois? Vá diz-me?!...Depois de fazer amor contigo, que lugar nos reservaremos, para o futuro, na vida um do outro?!...Como ficam as coisas?

- Tu dizes-me que és casado e feliz!...Dizes-me, ainda, que te sentes bem comigo: a conversar e a conviver... 

Eu digo-te, com verdade e convicção, que sou livre e livre quero continuar sendo!... Pelo resto dos meus dias!

Agora que chegámos a este ponto da nossa relação; intrincado e conflitual, de decisão final -  irmos ou não irmos para a cama - responde-me, também tu, com sinceridade e postura de carácter, ao seguinte:

- Que lugar reservaremos, no futuro, mutuamente, um para o outro?

Vamos só hoje para a cama?...E sendo bom ou sendo mau, ficamo-nos por aí?

- Marcamos uma rotina, clandestina, de encontros sexuais, e de conversas inflamadas, sempre com dia e hora marcados? Só para transar?

- Optamos por nos conceder uma oportunidade, única e de felicidade, e deixamos todo o resto entregue ao destino? Magoando os outros e submetendo-nos, ambos, ao sabor imperioso do momento?

Sabes? Eu não gosto de confusões, nem de situações dúbias! Sou avessa a incertezas e sou dependente de estabilidade: seja ela qual for! Gosto de saber com o que conto, para planear a minha vida! E...

- Gosto, sim e muito, de cama! De sexo! Com alguém inspirado e inspirador!... Gosto do movimento, exaltado, dos corpos, que se encontram e se complementam, no aconchego da paixão! Que se encaixam um no outro na busca de prazer...

Mas, só para isso, não preciso de ti!... Ès um homem atafulhado em compromissos; que devias conseguir saber respeitar!

Não! Não iremos para a cama; nós os dois não iremos para cama nenhuma! A sentença ditar-ta-ei eu! Sou mais lúcida e mais controlada; e mais dona de mim!

- Não quero partilhar, só, as tuas migalhas, nem sequer os teus arroubos inflamados...Mereço uma «cama» completa:

- Lençol de baixo, de cima e dois corpos dentro... A todas as horas que eu o deseje! - Com deitar, dormir... e acordar! Juntos e enquanto durar.

Mas tu gostas de esquemas! E eu digo-te com ar profético:

- Azar o teu. Não dá! Seria uma relação fracassada; igual a tantas outras! Continuemos amigos. Só amigos.

O nosso projecto de romance fica, portanto, sem efeito.

...

sinto-me: azarada...
publicado por mcm às 10:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Março de 2010

O diário de Rita...Hoje, serei feliz sem homens...

...

- Não! Hoje não farei nada de especial! Trabalharei muito, como de costume, sorrirei aos homens que me sorrirem, como é meu costume, também, e, mais logo, pela tardinha, irei “malhar” no ginásio, como habitualmente, sempre, à segunda-feira... Será um dia normal, mas com um toque de diferença:

- Hoje é o dia oito de Março de 2010. E nós, algumas das mulheres, sabemos valorizar a nossa condição! Sabemos mimar-nos e ser felizes, sem homens, com carácter de permanência ao nosso lado. O nosso entretenimento não depende dos outros! Depende de nós!

Dizes-me tu,  que é «O dia da Mulher» e que seria interessante eu assinalar a data com alguma coisa, mais excêntrica! Tentas fazer charme comigo e dissimulas, assim,... o teu enfado, fingindo que aderes àquilo que desprezas.

Aí, nesse momento, eu recordo-te, que me vens dizendo, ano após ano, e sucessivamente, que és contra datas, e, em especial és contra, o «Dia da Mulher» e o «Dia dos Namorados». Assim mesmo e, sem, mais, mas!

 - Dizes-te contra!

Quando eu ainda me importava com as tuas opiniões, perguntei-te, um dia, porquê; qual o motivo que me davas para essa tua tão visceral relutância com datas e, em especial, estas duas!

Recordo-me bem, do que então me respondeste:

- Eras contra o Dia da Mulher, porque não sabes qual é o Dia do Homem!...

Assim mesmo; desta forma mais que medíocre, resumiste uma data histórica, em que mulheres foram mortas no seu local de trabalho, porque lutaram contra salários desiguais e horas de trabalho desiguais, às dos homens... a uma frase feita e machista. Fácil e redundante! És contra!

E em relação ao Dia dos Namorados, foste, ainda, mais mesquinho e argumentaste com questões de conveniências e interesses de negociantes e comerciantes. - «Que é só uma operação comercial!...» Afirmaste-me!

 Eu sei que tu não gostas de gastar dinheiro em presentes!

Mas, por favor, não me venhas com essa, de que és contra por questões políticas. A tua política, eu sei-a muito bem, qual ela é!

- ÉS contra porque és agarrado, ao dinheiro e porque achas que um indivíduo de esquerda, “não dá para esses peditórios”... Um indivíduo de esquerda é contra a sociedade de consumo e contra as «mordomias» das mulheres. Se um homem vai à frente ou atrás da mulher é uma questão menor ou inexistente, para ti! E ainda por cima, tu gostas de ir à frente em tudo, embora fingas que não.

Agora que perguntaste o que faço hoje, dia oito de Março, Dia Internacional da Mulher, eu te respondo desta forma, sincera e incisiva:

- Hoje, serei Mulher! Cuidarei de mim; darei de mim o que puder aos outros, e, amarei, todos, os que merecerem. E vou mimar-me com coisas simples que me façam mais feliz! Se alguém me der flores, direi obrigada e irei com elas na mão, durante o trajecto, pequeno que seja, que caminhe pela rua...

- Orgulhosa de mim, da minha condição de mulher realizada e orgulhosa do gesto de que usufrui. Darem-me uma flor, não é coisa pouca!

Hoje, recorda bem, o que te repito:

- Serei Mulher a tempo inteiro; como ontem e amanhã.

Ah! Perguntas-me, mais ainda, onde ficas tu, neste meu dia?!...

Eu respondo-te com sinceridade, sincera:

- Ficas do lado das tuas opções. Não posso fazer mais nada por ti! Cada um com as suas convicções...

- Hoje não nos veremos: não jantamos, não há sexo nem fingimentos. Nada de entretenimento em conjunto... Ficas de fora!

...

sinto-me: mulher...
publicado por mcm às 11:23
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Março de 2010

PEDRO ABRUNHOSA...

«FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO...»

 

http://www.youtube.com/watch?v=U6R5oJDzij0

 

HÁ QUEM NÃO GOSTE DE PEDRO ABRUNHOSA!

EU GOSTO! E GOSTO MUITO, ESPECIALMENTE, DAS LETRAS DAS SUAS CANÇÕES.

ESTE SINGLE, DO SEU PRÓXIMO ÁLBUM, A SAIR EM ABRIL, É MAIS UM TRABALHO SEU, COM UM POEMA  BASTANTE INTERESSANTE.

PEDRO ABRUNHOSA É UM HOMEM COM ESTILO, COM SUCESSO, É UM BOM MÚSICO E CANTA AO SEU JEITO  - ÚNICO E MARCANTE.

- EU REITERO: - GOSTO DELE.

E PORQUE HOJE É SEXTA-FEIRA:

- "VAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO" ... O QUE PELO MEU LADO É  IGUAL,  A FICAR A DESCANSAR, DA CHUVA,  EM CASA ; NO QUENTE DO SOFÁ. UM ENORME PROGRAMÃO DADO O TEMPO SATURANTE QUE FAZ POR AÍ...

- UMA SECA DAS BEM MOLHADAS!

 

Ps: Foto «captada» no site «Olhares»

sinto-me: chegada ao meu céu...
publicado por mcm às 18:56
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

«O diário de Rita»... quem me choraria?...

...

Rita gosta muito de pensar e de imaginar cenários!...

Hoje levantou-se cedo, arranjou-se bem e bonita, (pois tem algumas reuniões importantes,) e, quando se meteu no seu carro, a caminho do seu local de trabalho, pôs-se a pensar assim:

- E agora, que estou bonita e com ar de pessoa feliz e empreendedora, se eu morresse, assim, de repente, duma forma brutal e inesperada? Quem me choraria?

- Quem, após saber desta minha derradeira fatalidade, sentiria tristeza e lamentaria, ao menos, a minha partida, súbita, sem lhes dizer adeus?

- Quem se lembraria das coisas boas que eu fiz e me elogiaria por elas e sofreria com a minha morte? Sentiria sequer a minha falta?

- Quem, de uma forma sincera e digna, me velaria na minha derradeira noite? E quem iria para lá, galhofar e contar anedotas, a meu respeito?

- E da família? Quem da minha família seria justo comigo? Quem da minha família me mandaria flores, das que sabe que eu gosto? Quem da minha família me escolheria a última morada? Quem deles ficaria feliz, com a minha saída de cena? Qual deles entraria primeiro na minha casa? E qual deles mexeria, primeiro, nas minhas gavetas para coscuvilhar os meus segredos?

Rita que gosta de pensar e de divagar, e de, por vezes, entrar em territórios de perfeito e total sofrimento... e de total absurdo, chegou já ao seu destino e pensa, ainda mais isto, para concluir:

- Será que sofremos, depois de morrermos, porque os que deviam nos não choram com sinceridade? Será a morte o início de um caminho de lucidez plena?... Onde vemos o que queremos e mais aquilo que, em vida, fingimos não ver?

Rita abandona estes pensamentos e vai trabalhar, porque, para já, esta questão, ainda não se lhe colocou.

- Chegou sã e salva e bonita e viva, ao seu local de trabalho. Por quanto tempo, mais, é que não sabe; mas, também não lhe interessa, nada de nada - saber a hora exacta do seu momento mais que fatal: do desenlace definitivo!...Enquanto fecha a porta do seu carro ainda pensa mais isto:

- E se eu pudesse fingir-me de morta? E se eu conseguisse enganar todos por umas horas? E vê-los fingidos ou autênticos a chorarem-me e a rirem-se? E depois rir-me para eles e abraçar uns e ignorar os outros? Como seria, depois, a minha vida? Melhor? Pior?...

Rita sobe no elevador e, após entrar no “seu” mundo, já não tem nem mais um segundo, para fazer estes exercícios; que a divertem, bastante, quando pensa neles - de uma forma irónica, como irónica é, sempre, a morte...

...

sinto-me: igual a sempre...
publicado por mcm às 11:05
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

«O diário de Rita»... o dia em que dissemos adeus...

...

Dissemos adeus e nunca mais nos falámos...

- Faz anos hoje e eu lembro-me de tudo o que se passou. Foi duro e foi traumático e ainda me dói. Imenso e fundo!

Costumo dizer a mim própria que me libertei e estou bem, mas não é, totalmente, verdade.Sinceramente não é, de todo, a verdade!

Ainda tenho pesadelos e, sempre, quando passa este dia no calendário, (que tenho na frente, em cima da secretária, aonde dantes estava a tua foto,) fico triste e desgostosa. Não porque nos deixámos! Isso foi tarde, perdi muita coisa, mas foi a tempo. É sempre tempo, para o “tempo” da libertação, de um espirito aprisionado. Fico triste porque não consigo perdoar as desconsiderações que me fizeste.

- Eu tento, mas não consigo. Foram tantas e tão graves, que não consigo esquecer, nem uma!

Não sinto já aquele peso do desgosto, tão intenso; mas é como que uma doença crónica: está cá e dói!

- Uns dias dói mais, outros menos, e, de vez em quando, estou bem... por alguns momentos ou dias. Mas depois volto a lembrar-me e a “ferida” volta a abrir e volta a doer. A memória tem destas coisas inconvenientes: traz-nos de volta o que queremos e o que não gostamos. Há que sabermos viver com as nossas dores da alma.

E é isto que se passa. As paixões quase nunca terminam de maneira a que as lembremos por bons motivos. Por culpa de um ou de outro, as paixões a dois, terminam sempre mal. E o pior é de quem mais confiou.

Era isto que queria que nunca soubesses: que me sinto, ainda e amiúde, muito triste por todo o mal que me fizeste.

- Mas sei que não te importarias! Ainda que soubesses, ficarias de gelo!... Faz parte do teu carácter.

Ps: Rita fechou o «seu» Diário e foi trabalhar e viver o seu dia.

...

sinto-me: cheia de ideias...
publicado por mcm às 10:45
link do post | comentar | favorito
Sábado, 6 de Fevereiro de 2010

«O diário de Rita»... a paixão é um cheque careca...

...

- Apanhei-te! Mentiste-me com todos os cabelos que não tens e devias ter...

És meio careca e isso pode dar-te charme, mas não deixa de ser um défice na imagem... No entanto digo-te isto, mais uma vez:

- Sabes que não gosto quando andas a inventar desculpas, para chegares tarde, aqui, a casa?... A minha casa, aonde te espero há mais ou menos duas horas, sempre na ânsia de te ver chegar; e tu sem apareceres nem dizeres nada?!...

Pois é, hoje sem querer apanhei-te! Apanhei-te em mentiras. És um mentiroso e um troca-tintas. És nada de nada!

Como já passava quase uma hora, sobre a hora que marcaste, para vires buscar-me, e porque tinhas dito que tinhas uma reunião antes vires para o pé de mim, (lá no teu gabinete) eu, que sou parva e ansiosa, (e mais coisas todas deste género) liguei para a tua secretária, para saber se a «tua reunião,» ainda, estava atrasada e ver se ela saberia dizer-me, quanto tempo mais te esperaria... e...

...Ela, coitada e, sem saber o que dizer mais, disse-me que tu tinhas saído pelas quatro da tarde e que tinhas dito que já ali não voltarias!...

- Depois tu chegas, pelas dez da noite, quando marcaras vir buscar-me pelas oito e dizes-me com cara “compungida”:

- “Amor, desculpa! Aquela reunião foi brutal! Estou exausto! Só problemas... acabei e vim directo para o pé de ti... nem te liguei para não perder mais, nem um minuto... Até a minha secretária já tinha saído”...

Eu, que já estava a afogar-me em raiva, digo-te em tom também enraivecido:

- “Sai daqui e vai para o inferno.”

Ainda tentaste saber porquê, mas eu não te dei essa confiança. E para mim pensei, com tristeza e com convicção, após bateres a porta:

- Gosto eu desta «burla»?!...deste careca?...A paixão é uma burla? É um cheque careca?  Rita ganha mas é juízo!

Tomei meio lexotan, despi-me e coloquei um CD de Chopin... 

...

sinto-me: serena a ver o dia...
publicado por mcm às 11:02
link do post | comentar | favorito
Sábado, 30 de Janeiro de 2010

«O diário de Rita»... gavetas e segredos...

...

É Sábado!

Rita está em casa e arruma gavetas. Aquelas gavetas, pessoais, onde só ela pode e sabe mexer...

Rita é uma mulher de segredos. Há coisas que guarda, secretamente, e que já são de outros passados: seus, com outras pessoas.

- O passado, seja ele bom ou mau, deve preservar-se: com requinte e privacidade, quanto bastem.

Hoje Rita «mexe» nas gavetas, onde tem fotos, cartas, poemas, “recuerdos”, papelinhos, post it, convites... - Tudo dado, por “amores” seus, que findaram, mas que ainda têm direito a um espaço: na sua casa e no seu passado.

Rita é uma mulher que gosta de ter segredos; e gosta de "saber" segredos.

- E nunca desvenda um segredo, a ninguém: nem seu e nem de outro alguém, que lho confiou. Os segredos, para Rita, são cofres secretos de que se perdeu a chave. Só explodindo-os! E aí, queima-se tudo... e, um segredo sem provas é uma invenção!

Rita encontrou, numa das suas gavetas de segredos, uma foto sua, em que se passeia, qual deusa, com uma fita, atada aos cabelos, louros e compridos, um monoquini vestido e um gato malhado, tipo selvagem, ao colo...

Rita enfrenta a objectiva e sorri e tem uma pele fantástica e branca; parece feliz e aparenta uns vinte, trinta anos de idade...

Rita volta a olhar a foto, mais uma vez, e lembra-se, perfeitamente, de que estava de férias, era Verão e estava numa casa, em que se saía da sala, e se entrava, directo, na piscina... Rita tinha trinta e dois anos e era, realmente, bela nessa altura. (Hoje deixa isso para os outros se pronunciarem...)

Rita gosta dessa sua foto; de tudo o que a foto representa:

- Tempo, juventude, beleza, saúde, descontracção! E um sorriso, enigmático, que, mesmo agora, uns anos passados, gosta de fazer; quando as coisas lhe correm de feição...

...

sinto-me: ensonada
publicado por mcm às 10:48
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009

«O diário de Rita»... despedidas - Ano velho para o lixo...

(continuação)

...

Rita despede-se do Ano Velho! Vem aqui, hoje, ao seu «Diário», escrever um «Alô» a todos os que, ao longo dos dias, praticaram o acto heróico e  generoso,  de  passar pelas suas folhas... lendo, nelas, coisas que Rita entendeu poderem ser um «clic», mais, a acrescentar às vossas cabeças repletas de tanta coisa interessante e desinteressante: de pessoas simples e de bem, que enfrentam os dias vazios, da vida da “era do vazio”...  Da vidinha, rasteira, que nos assola qual pandemia a que não escapamos!

- Lipovesky escreveu o seu best-seller «A Era do Vazio» e sabia do que falava... Um autêntico «profeta»!

O que Rita vos quer aqui deixar, hoje, é uma palavra de solidariedade e de tentativa de entendimento: de companheirismo, também;

- Que o desespero, a tristeza, a carência, a solidão, a doença, a ingratidão, o confronto, a tirania, a depressão, o fanatismo vos não batam à porta!  

- Nunca, se for  possível!

Rita deseja para todos vós, um Ano Novo repleto de jacarandá, floridos, em tempo certo;  um Verão com temperaturas adequadas; um Outono suave como suave deve ser o Outono, e a Primavera... e que no Inverno que para o ano chegará, de novo e ciclicamente, “festejemos” ainda juntos, outra nova entrada... em 2011! Só o Futuro é importante! O dia seguinte...

- Feliz 2010 para todos! Com alegria e abundância!

 Boas entradas! ( Já que as saídas são o que são...(medíocres).)

...

Continua

Ps: Lipovesky

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gilles_Lipovetsky

Em suas principais obras, sobretudo em A Era do Vazio, analisa uma sociedade pós-moderna, marcada, segundo ele, pelo desinvestimento público, pela perda de sentido das grandes instituições morais, sociais e políticas, e por uma cultura aberta que caracteriza a regulação "cool" das relações humanas, em que predominam tolerância, hedonismo, personalização dos processos de socialização e coexistência pacífico-lúdica dos antagonismos - violência e convívio, modernismo e "retrô", ambientalismo e consumo desbragrado, etc.

sinto-me: festiva...
publicado por mcm às 11:01
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Dezembro de 2009

AEROSMITH...

 

«Dream on...»

http://www.youtube.com/watch?v=BYojs78Tf9Y

 

ÀMANHÃ SENTIREMOS,  TALVEZ, ALGUMA DIFICULDADE EM LIDAR COM A REALIDADE DAS VISITAS , DIÁRIAS, A ESTE BLOG!

MAS, VERDADEIRAMENTE, SERIA UMA ENORME RESPONSABILIDADE TER, TODOS OS DIAS, CERCA DE CINCO MIL E QUINHENTOS VISITANTES!...

FOI BOM, MAS A REALIDADE É OUTRA COISA MAIS DOCE E MODESTA;

- SÃO OS MEUS FIEIS LEITORES QUE ME VISITAM, AQUI, DIARIAMENTE, AO LONGO DO TEMPO E SEM ME ABANDONAREM...

É PARA ELES ESTA CANÇÃO QUE A QUI FICA, DOS AEROSMITH:

- "DREAM ON"... 

sinto-me: a brindar a todos vós...
publicado por mcm às 21:21
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Dezembro de 2009

ANA MOURA...(2)

«PRESO ENTRE O SONO E O SONHO...»

 

http://www.youtube.com/watch?v=tO1NmIFCWrQ

 

ANA MOURA CANTA COMO OS ROUXINÓIS: VAI DE UMA PONTA À OUTRA DA ESCALA, ARRANCANDO TRINADOS  À SUA VOZ DE SONHO.

SABE, TAMBÉM, FAZER-NOS PERCEBER CADA UM DOS VERSOS QUE CANTA COM ASUA ESPECIAL DICÇÃO, MUITO CLARA.

JORGE FERNANDO ESCREVEU ESTE POEMA, MUITO INSPIRADO, E,  ÀS VEZES,  ACOMPANHA-A,  À VIOLA -  QUE DEDILHA COMO UM MESTRE.

ENFIM, TUDO MUITO BOM, BELO E CERTO.

-  UMA VERDADEIRA BELEZA! 

 

sinto-me: NO PARAÍSO...
publicado por mcm às 19:03
link do post | comentar | favorito
Sábado, 5 de Dezembro de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

Rita pensa hoje, nas diversas formas de diálogo que ensaiamos, mentalmente, quando estamos, já, a despedir-nos de alguém... que gostamos ou gostámos, e que, mais dia, menos dia, vamos deixar de fora da nossa vida; mas que, ainda assim, ponderamos formalizar, ou não.

Rita sabe que quando, fisicamente, a separação se dá, ela já aconteceu, nas nossas cabeças, muito tempo antes! A separação formal é só, «um» último passo... que, pode dar-se, ou pode não se dar...

...

“Nada do que me digas, agora, para me acalmar, conseguirá algo mais em mim, que um grito de revolta e algumas lágrimas!...

Hoje, neste dia, em que todo o dia será só mais uma noite; em que nem um só sorriso meu, aflorará, por um instante que seja, à minha face; hoje neste dia sem sol, e de tristeza e noite e escuridão, dentro de meu peito: cá de longe, como convém, despeço-me de ti para sempre: com um beijo, (que te atiro, soprado da ponta de um só dedo, da minha mão) e com a intenção de que sejas sempre feliz, por onde andares, e um adeus, definitivo, que saberás deduzir no meu olhar mortiço e ausente...

No meu regresso a casa, onde por um tempo permanecerei só e sozinha, como convém a quem está triste e realmente só, pensarei em quantos dias tivemos para sermos felizes e o não fomos; e recordarei tudo o que de bom ambos vivemos e construímos, ainda assim, algumas vezes, nestes anos; depois tomarei um chá quente, meio lexotan e dormirei um pouco... e enquanto puder...

Quando pela manhã me levantar, quero que seja já, uma nova vida, a minha vida!

- Ainda que só o inicio... mas nova e onde tenha lugar a esperança de voltar a ser feliz!

Não me leves a mal...por favor... ter de partir sem ti.”

...

Ps: De Rita...

...

Continua

sinto-me: very good
publicado por mcm às 10:38
link do post | comentar | favorito

.Eu...

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O nosso Outono...

. Vidas às avessas...

. O vazio da orgia...

. Recomeços...

. Dizes-me que te "faço" im...

. Dizes que não presto! Eu ...

. Segue o meu feeling...

. Pensa jovem!...Inspira-te...

. ...No dia em que adoeci -...

. ...aulas de sexo para vir...

.arquivos

. Outubro 2016

. Setembro 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Agosto 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.Subscrever feeds

.links

.favoritos

. VIAGEM A PARIS E (DE GRAÇ...

. Diário de Rita... o beijo...

. «O diário de Rita»...home...

. «O diário de Rita»...

. O meu Blog Original...

. Boa Páscoa...

. Surpresa pela negativa!