Domingo, 3 de Janeiro de 2010

«O diário de Rita»... on...off..."in"...

...

- Depois, lá acabaste por chegar – tarde, como é teu hábito!

Eu arranjo-me, cancelo compromissos, prévios e importantes, e tu atrasas-te, e quando chegas, tarde e sem justificação, plausível, vens com ar comprometido e de menino mal comportado, no rosto! Um «menino» que entornou o copo do leite, no bibe, logo no primeiro dia de infantário...

E eu detesto isso! E não sei porque vou, conscientemente, alinhando nessa mediocridade que és tu, mais a tua falta de pontualidade e mais a tua vida toda!...

- A tua vida privada é toda um caos!

Não que eu seja pouco exigente: com os outros e, especialmente, ainda, mais comigo! Sabes que sou exigente com tudo e todos! Tu incluído.

Analisando-me bem, o que eu sinto por ti, é ternura e alguma tolerância... e talvez uma vaidade, pessoal, exagerada: de não me mostrar, aos outros, sozinha!

- E tu és giro e tens bom ar e pareces irrepreensível! Pareces...

A paixão que por ti senti, em tempos, foi-se! Evaporou-se! Qual «poeira de água» derreteu-se com os primeiros “pingos de chuva”...

A tua verdade não se compadece com endeusamentos! És demasiado banal, visto de perto.

E assim, eu me iludo e tu me negligencias; e ambos pensamos que pensamos, que, aparentemente, está tudo bem!

- Que somos um casal apaixonado!

Vivemos uma ficção a três dimensões.

- Eu sou infeliz; tu imaturo; nós ambos, uma fraude!

Mas, todavia, para os outros, somos um casal de sucesso!

- Parecemos um «casal» de sucesso!

E o «sucesso» para ti é tudo!

...

sinto-me: apressadíssima...
publicado por mcm às 10:24
link do post | comentar | favorito
Sábado, 2 de Janeiro de 2010

LEONARD COHEN...(2)

 

«IN MY SECRET LIFE...»

 

http://www.youtube.com/watch?v=uyMC5MJYOZ8

 

O POETA  E ESCRITOR DE CANÇÕES, LEONARD COHEN, NEM PRECISAVA DE CANTAR; BASTAVA -LHE QUE ESCREVESSE E DISSESSE OS SEUS POEMAS.

- NO MEU MODESTO PONTO DE VISTA É O QUE ELE FAZ!

A SUA FORMA DE CANTAR É, ASSIM, MAIS UM DECLAMAR DAS PALAVRAS , AO SOM DE MUSICA, O QUE PRODUZ UM EFEITO FANTÁSTICO MELÓDICO.

HÁ QUEM NÃO GOSTE DE O OUVIR!

EU ADORO; E ESPECIALMENTE, NESTA CANÇÃO, DE QUE DEIXO AQUI O ÚLTIMO VERSO.

.............................................

 

I bite my lip.
I buy what I’m told:
From the latest hit,
To the wisdom of old.
But I’m always alone.
And my heart is like ice.
And it’s crowded and cold
In my secret life.

 

sinto-me: de volta à calma...
publicado por mcm às 18:55
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 29 de Dezembro de 2009

PAULO GONZO...

 

«FALAMOS DEPOIS...»

 

http://www.youtube.com/watch?v=DL6aq5zW2lc

 

PAULO GONZO É UM ARTISTA COM UMA DAS MELHORES VOZES A CANTAREM EM PORTUGUÊS.

NEM SEMPRE ASSIM FOI, JÁ QUE NO INÍCIO, DA SUA CARREIRA, ELE CANTAVA E, MUITO BEM E COM ENORME SUCESSO, EM INGLÊS. NUMA BANDA COM O NOME «GO-GRAAL-BLUES-BAND» (SE ESTIVER MAL ESCRITO, DESCULPEM POR FAVOR)

HOJE «RITA» ESCREVEU, NO «SEU» DIÁRIO, QUALQUER COISA SOBRE (DES)CONVERSAS E COMO NÃO TRAVAR LITÍGIOS... E ESTA LETRA, DESTA CANÇÃO, DIZ A CERTA ALTURA ASSIM:

- "DÁ-ME TEMPO, DÁ-ME ESPAÇO, DEIXA-ME TER UM MOMENTO DE CANSAÇO... E É BEM MELHOR ASSIM"...

AS RELAÇÕES, SEJAM DE QUE ÍNDOLE FOREM, TERMINAM, MUITAS DAS VEZES, PORQUE NOS TORNAMOS «INVASORES» E DEMASIADO EXIGENTES COM OS OUTROS, E DAMOS DE NOSSO, MUITO POUCO PARA A RELAÇÃO. 

 

Ps: A foto é de uma "casa" onde passei belos momentos, de férias, na Bretanha... É um sítio muito cool e onde onde o tempo não se nota  passar...

sinto-me: enlouquecida da chuva...
publicado por mcm às 18:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 20 de Dezembro de 2009

«O diário de Rita»... ( momentos imprevistos...)

(continuação)

...

Rita é uma pessoa sensível, e, de vez em quando, uma furiosa contida!

 - Polémica, bastante, mas só ela o sabe! Rita sabe dominar-se.

Ontem, ao cair do dia, Rita foi fazer as suas últimas compras de Natal!

Na hora dos embrulhos, onde havia senhas e fila, (enorme) Rita aguardou, pacientemente, ao longo de trinta minutos, o seu número de chamada, no visor, e...

- Qual o seu espanto quando a pessoa que lhe calhou em sorte, atendê-la, (entre as quatro que estavam a prestar esse serviço, de embrulhos) era detentora de um olhar desfocado, “errático”e parado que Rita, ao primeiro contacto, não apreciou! Detestou, absolutamente! Sentiu-se defraudada depois de tanta espera...

A dita funcionária, "olhando-a" de uma forma esquisita, perguntou a Rita qual o papel que desejava escolher do expositor, e, Rita respondeu, após olhar o naipe da oferta, que queria um certo tal que lhe agradou... Verde com bolas vermelhas...

(Rita levava oito presentes para embrulhar e eram todos diferentes e para pessoas diferentes e pensava em papéis, também, diferentes...)

A funcionária, de olhar errático, dirige-se ao expositor de papéis de embrulho, e, começa a apalpar um a um, todos; tacteando-os, com as pontas dos dedos, e, nesse mesmo instante Rita "percebeu" que, a senhora em questão era cega! Aquela mulher, frágil, de olhos verdes e com uns trinta anos de idade era cega!

Rita que estava quase a desanimar com a sua atendedora, casual, logo que se apercebeu da sua cegueira, passou a «dominar» o seu mau génio, ali todo presente, quase a sobrepor-se à sua educação, que Rita faz questão de manter; e passou imediatamente à colaboração total! (Mas após uma fila de quase, trinta minutos de espera e com uma funcionária tão inábil, como aquela lhe parecera, a paciência podia esgotar-se e era compreensível se tudo fosse como «não» era!...)

- Se ela visse como todas as outras ali!

Rita passou então a sugerir, para cada embrulho, sempre o mesmo papel e a mesma cor de laços: para que a senhora que lhe prestava o serviço, de embrulhos, não tivesse de andar a procurar texturas e cores entres as inúmeras opções...no expositor. Rita ao ver que a atendedora era cega, tentou logo colaborar e fazer tudo para que a funcionária em questão, se sentisse útil, eficiente e capaz!

Quando após mais uns quarenta minutos!... de serviço de embrulhos, feitos por uma pessoa mais incapaz que as outras, porque cega, ( e que atendiam os outros clientes, rápida e eficazmente) Rita, agradeceu-lhe e desejou-lhe Feliz Natal...  e ela sorriu e agradeceu também  a Rita...Mas lá por dentro, Rita estava a ferver, e, ao mesmo tempo a sentir, uma pena enorme daquela jovem, cega, trabalhadora, educada, digna e que, se calhar, o dinheiro que ganhará estes dias será, o seu melhor presente que receberá neste  natal.

Perante estas situações, de deficiência, Rita sente-se logo solidária e com dor pela dor dos outros! Rita fica com o coração de rastos, com estas situações!

Mas Rita, ontem, estava quase a explodir, com o seu mau génio... e tinha motivo! Mas, afinal, o motivo não era plausível...

...

Continua

sinto-me: enervada com o frio...
publicado por mcm às 11:10
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Novembro de 2009

«O diário de Rita»..

(continuação)

...

Rita não ferve em pouca água...nem é uma pessoa de ódios e, muito menos, de discussões.

Se alguém a ofende e trata menos adequadamente, Rita tem duas hipóteses de actuação à sua escolha:

1- Ignora o assunto;

2- Trata o assunto como ele merece; fala com a pessoa que o provocou e se for caso disso, coloca essa pessoa na lista das pessoas indesejáveis.

- Hoje Rita fala de pessoas indesejáveis.

E o que é para Rita, uma pessoa indesejável?

- Rita considera que é uma pessoa, que por um qualquer motivo, nos levou a colocá-la no lugar de uma pessoa de quem desconfiamos; de quem esperamos surpresas negativas; que nos atraiçoou: fosse por que motivo fosse...É indesejável porque nos provoca desconforto com a sua presença e proximidade. - É daninha e maligna!

Rita lembrou-se disto hoje, porque ontem, mesmo, se cruzou com uma pessoa assim: radicalmente indesejável! Uma «silva»!

Rita até pensava que já nem se lembrava dela, nem daquilo que ela lhe fizera em tempos e que fora qualquer coisa do tipo «espetar facas pelas costas» - por inveja - que é sempre uma coisa perniciosa para quem tem esse tão popular defeito. Na Igreja chamam-lhe um «Pecado»; o pecado da inveja, por oposição à «Caridade» essa virtude tão fora de moda mas tão confortável em certos momentos. A inveja é como as «silvas» – inútil perniciosa e indesejável! E corrói as almas! E alberga debaixo dela «répteis» asquerosos... (nunca sabemos bem o que está em baixo de um silvado!)

Rita como ia aqui contando, ao «seu Diário», viu essa pessoa e sentiu uma certa repulsa quando ela, qual «silva» enganadora, lhe veio dar um beijo na sua face... e, nesse instante em que a tocou, qual pico afiado, mas ao de leve, Rita lembrou-se de quem ela era:

- Era aquela «coisa» indesejável que um dia fez Rita colocá-la, no lugar dos esquecidos... e dos banidos. Uma «silva» cheia de picos, que teve de ser cortada rente e posta a secar ao sol, inclemente, no «deserto»...

Até porque o Pai de Rita sempre lhe disse, meio sério e meio a brincar:

- “Na primeira qualquer uma cai; nas outras caem as outras; a minha filha previna-se.”

Rita tem uma “pequenina” lista de pessoas indesejáveis! De «silvas» a secarem no «deserto»... Que faz questão de ir esquecendo por lá, sempre, mais um pouco... até ao ponto de nem lhes lembrar os «picos nem as folhas»!...

- Tal como aconteceu ontem, quando aquela «silva» a «beijou». De repente, Rita nem estava a ver quem era! Depois lá se lembrou... e agora tem que voltar a começar a esquecê-la de novo... pô-la a «secar» numa  nova duna onde lhe bata um Sol inclemente...

- Pessoas indesejáveis, Rita dispensa: absolutamente! E contra a inveja não podemos fazer mais nada...

...

Continua

sinto-me: lúcida
publicado por mcm às 10:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 8 de Novembro de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

- Rita! Minha vida, meu amor e minha alma, vem deitar-te aqui, neste sofá ao pé de mim... Vem!

- Não fiques arisca, nem ausente, nem vingativa!...

- Vá, esquece o que te disse, e, reconheço-o, agora, mais calmo, não devia ter-to dito!... Mas tu já tens tempo suficiente comigo, para saberes que me «salta a tampa» com facilidade! Tu sabes que eu sou um coração doce, mas que se me contrariam, fico mal-humorado e não respondo por mim! Que  depois sou inconveniente...

- Vá, fazes as pazes comigo?!...

- Não me castigues nem me ignores... sabes que me magoas e fazes sentir culpado quando não me falas... Vá não fiques em silêncio!...

- E logo hoje que eu queria tanto mimar-te como tu mereces!...

- E logo hoje que eu tinha projectos para nós dois e sei que irias gostar!...

- E logo hoje tu me desafias e me tentas fazer ver que estou errado, quando te falo alto!...Mas eu sei que estou errado. Só que não gosto que me desafies... mas tu desafias-me e fazes-me sair de mim e mostrar-te o que sou de verdade... Um tipo maluco, um indivíduo que não aceita desafios! Um «gajo marado» mas que gosta de ti!

- Rita vem para o pé do teu amor, aqui no sofá!... Não finjas que não me ouves... Peço-te! Vens?...

Rita, que já acabara de se arranjar, assomou à porta da sala e, quase sem mexer os lábios, disse o mais baixo que conseguiu:)

- “Bye! Depois falamos... Agora tenho mesmo que ir.”

A porta da rua fechou-se e Rita, quando desceu a escada e viu o sol e a luz e a sua  liberdade, respirou fundo e pensou:

- Por hoje já tenho a minha dose! Basta!

- “ Enough is enough!”

Há dias assim! Só de contrariedades. Nada mais a fazer.

...

Continua

sinto-me: super,hiper apressada
publicado por mcm às 10:55
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

Rita está nas calmas e espera que o Tempo passe; por ela... E que um dia, tenha oportunidade para o ignorar; para o deixar em roda livre... (coisa que talvez, jamais aconteça); sem lhe dar importância.

- O Tempo é o carrasco de serviço, nos dias de Rita! O seu tirano!

É ele quem comanda os seus minutos: segundo a segundo! Até porque Rita é fanática da pontualidade! (Culpa só sua... pois em Portugal pouca gente se preocupa com isso...)

Por mais que Rita tente não lhe dar importância, (de maior) ele, o Tempo, impõe-se e atormenta-a, de manhã à noite.

- Rita despacha-te! Já estás quase em cima da hora... Corre, apressa-te...

(ouve-o ela segredar-lhe a todo o momento)

Há uns dois anos atrás, Rita deixou, simplesmente, de usar relógio! E foi só mais uma das «suas» contestações fracassadas.

Agora, abre a gaveta onde guarda esses belos pertences e, a única coisa que lucrou, assim de imediato, é que estão todos parados, com as pilhas (os que as têm) acabadas e, os outros, os mais antigos e de corda, também não funcionam... como deve ser... Deixaram de ter a precisão necessária por falta de uso... ( Dizem-lhe, os entendidos,  que teria que, de vez em quando, que tê-los posto a trabalhar!...)

- Mas Rita só quer esquecê-los!...Qual corda, qual nada!... Fechados e às escuras, na gaveta! De castigo!

Rita gosta dos relógios, como objectos de adorno e como seus carrascos da pontualidade. - Aquela «coisa» odiosa que nos obriga, quer queiramos quer não, a fazer o que não queremos!

Aquilo que Rita não lhes perdoa é a sua implacável monotonia; das sempre previsíveis e inevitáveis vinte e quatro horas diárias; e no final contamos mais um dia...

Rita sabe que todas as vinte e quatro horas, que um relógio assinale e marque, contam como mais um dia de vida e de rugas e de chatices...Fora todo o resto: na sua vida e no seu BI! E é isso que Rita não gosta e foi por isso que Rita deixou de usar relógio... - Embora esteja cercada deles, assim distribuídos:

- Um na mesa-de-cabeceira, um no WC, outro no videogravador, outro na sua aparelhagem HIFI e, uns oito ou nove na tal gaveta... e, mais o do carro e mais o do TLM e mais os que estão ao longo das estradas onde Rita passa, por norma, e mais...todos os outros que estão nos locais onde cumpre o seu dia, e sem esquecer o do computador...

- É um verdadeiro cerco a que Rita não escapa... O cerco da contagem das horas que nos faltam para a velhice!

Embora que, para evadir a questão, Rita só veja, mesmo, as horas no seu TLM e no carro... e às vezes, se vê um homem giro QB e para meter conversa, pergunta-lhe:

 - Por favor, diz-me as horas?...

 E funciona, (a conversa) e lá se tenta mais uma abordagem a um eventual candidato a conhecido, amigo, ou o que der...

...

Continua

sinto-me: sem rugas (ainda)...
publicado por mcm às 11:03
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 15 de Outubro de 2009

«O diário de Rita»... (em férias - 9)

(continuação)

...

Rita gosta da noite, gosta de vinho tinto, gosta de dançar e adora os homens!

Rita gosta da noite porque não tem horários, não tem luz em demasia e convida à intimidade e à descontracção...

Rita gosta de vinho, tinto e sem restrições, embora nunca beba de mais, nem nunca tenha esquecido o número da sua porta de casa, nem errado o buraco da fechadura...

Rita gosta de dançar: sozinha, mas e principalmente, gosta de dançar com um par, homem, por quem se sinta atraída, que seja cheiroso, gostoso e tenha ritmo no corpo...

Rita adora os homens, para sair à noite, para beber um vinho e para dançar com eles...

- E é por isso que Rita gosta, principalmente, da noite!

Porque à noite é sempre hora de ficar mais um pouco, de dançar mais uma música e de beber mais um copo...

- E é por isso que Rita adora os homens!

Rita pode sair à noite, pode beber à noite, pode dançar pela noite adentro, até que queira; mas se não houver um homem para a acompanhar e que seja um homem que goste da noite, que goste de vinho e que goste de dançar, a noite, para Rita, já não é a mesma coisa.

Rita não aprecia, de todo, as noites só com mulheres, por perto! Que bebem coca-cola e ficam ansiosas por irem sozinhas para casa...

Rita adora a noite a três:

- Vinho, dança e um homem... divertido e “compincha”...

E é por estas coisas que Rita gosta da noite, em Paris, onde se divertiu bastante e onde o vinho é bom, a música também e os homens são um «doce» e dançam sem complexos e pelo prazer da dança e da diversão...

...

Continua

 

sinto-me: brincalhona
publicado por mcm às 11:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 11 de Outubro de 2009

«O diário de Rita»... (em férias - 5)

(continuação)

...

Rita ama a paz, a calma e o silêncio!... Gosta de caminhar, solitária, pelos campos e de conversar com os pássaros e de ouvir os seus trinados ao desafio...

Gosta de correr como as lebres e de brincar às escondidas, com os seus amigos e amores, despreocupadamente e flanando ao acaso...

- Gosta de lhes aparecer de rompante e de lhes pregar sustos e de se abraçar a eles para que a desculpem, e lhes passem, (a eles...) os sustos que Rita lhes pregou: sem querer e por brincadeira!

Rita ama as madrugadas serenas e claras, e ensolaradas, nos campos, aonde seus olhos se abrigam, de vez em quando, para se repousarem das coisas feias que estão sempre a ter que olhar... e os cansam, enevoam e tornam tristes – às vezes.

Rita ama a calma, a paz, o silêncio e a vida!

- Onde pode ficar a sós consigo e onde Deus, se Ele existir e souber da sua presença humilde por ali, caminhe também a seu lado, invisível, atento e protector, para que Rita não corra mais perigos, nem enfrente maiores obstáculos: imprevistos ou desnecessários.

Rita gosta da Natureza inteira:

- Verdejante, exaurida de sede e calor, outonal, ou despida - ao frio e ao vento invernais!...

E foi por isso que Rita optou por ficar, dois dias, num retiro, em Chévetogne, onde tinha tudo o que precisava para se sentir em paz, segura e feliz... dessa forma que gosta.

- Onde ninguém queria saber se tinha um Deus, se algum dia lhe rezou, ou se, de outra forma qualquer, se aproximou Dele, ou o negou.

Rita sabe que se Deus existir, Ele virá ter com ela no seu silêncio feliz... Se Deus existir, mesmo, Ele é, de certeza, feito de Paz, calma e Silêncio!..

- Absolutos!

...

continua

sinto-me: em paz
publicado por mcm às 10:56
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

Quando Rita sai com o seu namorado, duas coisas podem acontecer:

- Ou vem de lá bem ou... vem péssima. Nunca há meio-termo, na felicidade que Rita sente, quando está com o seu namorado. É uma questão de tudo ou nada.

- Umas vezes, Rita sente-se nas nuvens de tanta felicidade. Noutras vezes, porém, sente-se a fazer turismo no inferno.

Rita é uma pessoa exigente e insatisfeita. Aquilo que Rita tem com o seu namorado, para a maioria das pessoas seria, o paraíso na terra.

Ele mima-a, dá-lhe atenção, diz-lhe que é linda, que é a mulher da sua vida e diz-lhe que a ama... Ele é inteligente, divertido e boa figura...

Mas... Rita gosta de complicar as coisas. Exige das pessoas aquilo que, por vezes, elas lhe não podem dar. Não têm para dar!

Rita gosta de pessoas sinceras e sem retoques, plásticos, na imagem. Gosta de pessoas simples e com carácter. Gosta de pessoas que lhe dêem segurança e paz interior... Gosta de pessoas confiáveis.

- Mas sendo isso só  normal, parece ser também,  impossível de alcançar.

Rita pensa nestas coisas, porque adora o seu namorado, mas sabe que ele, nem sempre é sincero e nem sequer desinteressado, na forma como se relaciona com ela. Rita até já o apanhou em mentiras e outras coisas mais ou menos desagradáveis.

Uns dias, Rita, para se iludir a si própria, finge acreditar que o problema é seu. Que é esquisita e que não sabe apreciar aquilo que tem...

Mas, nos dias mais sérios, porque mais autênticos, Rita cai na real e diz a si própria:

- Cuidado contigo menina Rita. À espreita anda um lobo mau que mais dia, menos dia, te «come»a alma. Muito cuidado RITINHA, PARA NÃO FICARES DESALMADA.

E é assim que as coisas se passam. Uns dias, Rita finge que é feliz com o seu namorado. Noutros, porém, assume que não o é. Porque de facto e em verdade, não é feliz com o seu namorado. Ele diz que é feliz com Rita! Rita não acredita nele – ou só acredita às vezes, quando quer enganar-se a si mesma.

E isso dá-lhe cabo da cabeça. Tira-lhe a sua paz interior.

Rita não aguenta dúvidas. Sejam de que tipo forem, essas dúvidas.

- Rita gosta de saber a verdade sobre todas as coisas. Boa ou má, rita prefere saber a verdade! Sempre.

...

Continua

 

sinto-me: "Sei lá!"...
publicado por mcm às 11:01
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 14 de Agosto de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

Rita nem sempre esteve feliz nem agradada com a sua imagem.

- Quando se sentia mais insegura, Rita «assassinava» o seu bonito cabelo.

Quanto maior fosse a sua insatisfação, maior era a «carecada» que lhe infligia! Rita já chegou, quase, a rapar o seu, (dizem) maravilhoso cabelo! Mas Rita hoje reconhece o seu problema e interpreta-o e tenta não voltar ao mesmo. A esse sofrimento!

Dantes, Rita não sabia falar disto. Não consciencializava que, a sua falta de confiança em si mesma, se manifestava em cortes de cabelo, mais e menos radicais.

Quando Rita achava que não era bem amada, bem desejada, bem cortejada,  bem valorizada, bem interpretada: Rita «atacava» mortalmente o seu cabelo.

- O tamanho do cabelo de Rita era proporcional ao tamanho da sua felicidade. Se ela fosse mínima, o cabelo de Rita, teria o tamanho mínimo, também. (Talvez fosse porque Rita adora o seu cabelo!)

Mas, de há um ano a esta parte, Rita não mais «assassinou» o seu lindo e sedoso e brilhante e liso e louro e, agora, comprido cabelo...

Pelo contrário:

- Rita deixou-o crescer e sente-se bem assim. Sente-se bonita e até já voltou ao seu antigamente... Se o cabeleireiro lhe sugere uma pequena nuance no seu look Rita, simplesmente, rejeita a sugestão e proíbe-o de cortar seja o que for...

Deixou de entregar, nas mãos de um qualquer intruso, a sua aparência e é Rita quem decide de si.

Isso é o que Rita aprendeu sobre a sua maior felicidade actual:

- Rita ganhou confiança, sente-se novamente satisfeita e reconhecida e, desde há muito que não se sentia tão realizada ao ponto de ter deixado o cabelo crescer...

Rita agora é, finalmente, a única responsável pela sua auto confiança. Não deixa isso entregue às boas graças de nenhum namorado... Rita é Rita! Quer seja bem ou mal amada. Rita aprendeu a cuidar dos seus sentimentos.

Rita passou a gostar de si e a valorizar-se e a achar que, é tão importante como os outros que, talvez, sejam até menos importantes que Rita... Porque mais egoístas, hedonistas e detractores, e mentirosos e oportunistas...

Rita aprendeu a não entregar a sua felicidade ao cuidado de ninguém. Da sua própria felicidade, é ela quem cuida.

Rita deixou crescer o cabelo, porque está muito feliz e serena e em paz.

...

continua

sinto-me: apressada
publicado por mcm às 07:55
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

«O diário de Rita»...

(continuação)

...

Rita conduz e, enquanto conduz, imagina cenários...

- Para passar o tempo, espreita os carros a seu lado e, se são homens, imagina-os como namorados ou amantes! Testa assim a sua capacidade de sedução. Às vezes Rita gosta de seduzir os homens. Fazer-lhes o mesmo que eles, felizmente, sempre lhe fizeram a ela.

- Os homens de bom gosto gostam de Rita!... (pensa ela e ri-se baixinho, sem ninguém perceber...)

Olha-os e finge não os ver! Repara então que, no carro agora a seu lado, vai um homem que Rita considera interessante ao seu olhar. Bom ar e bom astral: - Deixa-se ele adivinhar!...

- Tem uma idade indefinida – pelos cinquenta, talvez – tem pele morena e aparenta ser magro e bem constituído. Veste fato escuro com camisa de riscas e gravata lisa escura; talvez castanha!. Rita disfarça para não dar nas vistas e ele repara agora em Rita...

A fila parou e estão mesmo a par – lado a lado!

Ele sorri a Rita e Rita retribui com o seu mais “contido sorriso”, para não se mostrar muito interessada...Finge atenção à condução! Disfarça e espreita-o: - Pelo canto do olho!

O trânsito avança um pouco e, a fila dele está agora mais adiantada que a sua...

- Rita repara que o homem giro, moreno, charmoso e que lhe sorriu de dentro de um carro preto, de alta cilindrada, tenta vê-la pelo espelho lateral. Procura-a com os olhos... Está inquieto!

Rita pede aos santos e aos deuses que a sua fila avance e a dele pare, mas... e,...

- É isso mesmo que acontece! Ficam agora mesmo perto; novamente, lado a lado!

Ele abre o vidro e diz agora bom dia a Rita que lhe sorri novamente, mas desta vez com ar oferecido! Descarado!

Ele insinua um gesto que sugere que Rita o siga... sabe-se lá para onde e para quê e com que fim e como seria!?...no fim!...

 O trânsito começa então a andar a bom ritmo e,... os carros de ambos perdem-se, cada um para seu lado: ele virou à direita, pensando que Rita o seguiria; Rita seguiu em frente, para o trabalho...

Ainda não foi hoje que Rita levou um príncipe encantado – por ela – para o escritório...

Talvez numa próxima...

- Talvez sim! Talvez não! - Nunca se sabe... “A ocasião fará a ladra?!...”

...

continua

 

sinto-me: apressadíssima...
publicado por mcm às 10:04
link do post | comentar | favorito

.Eu...

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. E sobre crise ...

. Agora és gay? Seria essa ...

. Andas morta por que eu te...

. Éramos viciados em reconc...

. Sexo em dia e hora certos...

. GOSTOS MEUS...

. JULIO IGLESIAS...(7)

. CAETANO VELOSO...(3)

. «O diário de Rita»... o g...

. «O diário de Rita»... eu ...

.arquivos

. Outubro 2016

. Setembro 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Agosto 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.Subscrever feeds

.links

.favoritos

. VIAGEM A PARIS E (DE GRAÇ...

. Diário de Rita... o beijo...

. «O diário de Rita»...home...

. «O diário de Rita»...

. O meu Blog Original...

. Boa Páscoa...

. Surpresa pela negativa!